Equipe de desenvolvimento

Ultimamente eu tenho pensado em uma variável, ou melhor, num namespace chamado equipe.

the-a-team

Equipe não se resume a um grupo de profissionais trabalhando dentro de uma sala.

Equipe é um grupo de pessoas onde cada um tem um papel definido e respeita o espaço do outro, interagindo empaticamente para alcançar um objetivo.

Repare que não citei em momento algum amizade, mas citei empatia, já que da empatia se deriva amizade.

Para se ter uma equipe, é preciso:

  1. Pessoas
  2. Empatia
  3. Objetivo
  4. Liderança

1- Pessoas
Este é o recurso primordial de qualquer equipe, espero não precisar dizer por que, afinal, Asimov ainda não é tão real assim.

Verdade seja dita, o mundo esta cada vez mais populoso, mas parece que tem cada vez menos gente nele, ao menos gente do tipo que esta disposta a fazer parte de um time.

O individualismo e estrelismo tem tornado a noção de equipe falsamente abstrata e na história do homem, talvez nada seja assim tão real.

Foi como equipe que nos tornamos, nós humanos, capazes de viver e não somente sobreviver.

Ninguém sozinho cria uma cidade, mesmo que exista um leito de terra fertil a beira de um rio pleno de vida e protegido por uma cadeia de montanhas em uma area cercada de animais domesticaveis.

Se não houver pessoas, não havera grupo, nem cidade, nem crescimento.

E ninguem nesse mundo pode achar que conhece as outras pessoas.Parece piegas, mas se você realmente tentar ver a vida pelos olhos dos outros e interpretar os sinais com seu cerebro, vai ficar cego. Pense nisso.

Então, o que nos resta fazer é aceitar caracteristicas de cada indivíduo n grupo, correto? Depende.

Se seu objetivo é montar uma equipe e sabe o que deseja dela, provavelmente já tem uma idealização e vai procurar pelas caracteristicas que se encaixam nela.
A idealização  é que o problema. O problema esta em idealizar a equipe perfeita e esquecer que um todo é feito de partes e que, se pessoas nao são, nunca, perfeitas, as equipes nunca serāo, então, perfeitas também.

Porém, existe algo que ajuda um grupo de pessoas a se tornar uma equipe em constante aperfeiçoamento, essa coisa se chama empatia.

2 – Empatia

A definicao de empatia pra mim é:

algo dificil de sentir por humanos, mas facilmente sentido com relação a gatos.

Os membros da equipe precisam sentir empatia um pelos outros e essa é, nmhodm, a missao do processo de seleção.

Primeiro, se procura alguém que tenha a capacidade tecnica desejada e depois se apresenta essa pessoa ao time, mesmo que em formação.

Se o time só tem uma pessoa porque você comecou a cria-lo agora, essa pessoa deve ter muita importancia para, afinal, você a escolheu antes de qualquer outra.

Nessa conversa, fica claro se existe empatia entre os que ja estão na equipe e o candidato. Se houver, continue seu processo de seleção com o candidato, se não, abra mão dele, não importa quantas qualificações ele tenha e o quanto ele pareca a solução dos seus problemas, simplesmente abra mão.

Se voce insistir, o risco é de ter uma equipe desequilibrada e sempre a beira de um colapso nervoso.

Outro caminha, se deseja contratar essa pessoa, é testar  a empatia de outros times, afinal, grupos são diferentes e estão em constante evolução, o que implica mudanças a todo tempo.

Não existem equipes sem problemas, mas a empatia vai fazer com que esses problemas sejam compartilhados e, uma vez solucionados, vai permitir, através do respeito mútuo, que  a solução seja duradoura.

É a empatia a cola que permitira que regras surjam naturalmente ao inves de criadas artificialmente e todos nós sabemos, por experiência, que a artificialidade das coisas é o que faz elas enfraquecerem, parecam deslocadas e com que desaparecam.

E, acima de tudo, pessoas que sentem empatia tem mais facilidade de compartilhar, e objetivos compartilhadas são tangiveis, soam como realísticos, mesmo que para os de fora parecam algo maluco e impossível.

Empatia gera isso, objetivos compartilhados.

3 – Objetivo

Algo desejado, almejado.
Um local, situação, momento que se deseja.
Um ideal, que uma vez alcançado traz satisfação acima de tudo.
Uma satisfação que, para nós humanos, dura pouco, exatamente para que possamos focar no próximo objetivo.
Um vício, talvez, não não… com certeza um vício.

Se não houver um objetivo, não há equipe. Pode ser que exista um grupo de indivíduos, mas não haverá uma equipe.

As pessoas se conectam através da empatia e se mantém renovando essa conexão conforme dividem interesses.

Talvez o maior erro que pode ser cometido ao se trabalhar na criação de uma equipe seja não deixar claro um objetivo, o outro seria fornecer para a equipe somente objetivos simplórios.

Se você não fornece objetivos a uma equipe de qualidade, ela cria seus próprios e missão dada é missao cumprida… dificilmente ela vai parar antes de atingi-lo.

E se fornece um objetivo simplorio, bem… ele é simplorio nao é? e vai ser tratado como tal.

Com essas coisas em mente, pode ser que as coisas saiam dos eixos.

Pode ser a energia do grupo que varia de nenhuma a carga total, o foco que se perde ou até conflitos relacionados a evolução dos membros da equipe.

Para guiar o grupo na tarefa de atravessar esses espaço/tempos (no plural pq variam N vezes para cada X individuo) existe a figura do lider.

4 – Liderança

Lider é um papel que alguem assume com uma missao definida durante um espaco de tempo finito com apoio do grupo como um todo.
A empatia aqui e a pedra fundamental.

Não emerge um lider de um grupo sem empatia, ao contrário, normalmente surgem pequenas batalhas por liderança que minam a energia que deveria ser direcionada para o objetivo e este fato é o mais comumente culpado pela dissolução de bons grupos.

No dia-a-dia o lider tem como missão manter a energia realizadora do grupo, impedindo que estímulos negativos externos cheguem até ele.

Num grupo empaticamente ligado, o papel de lider troca de mãos naturalmente de acordo com a missão. E quem ja viu isso acontecendo, vai concordar comigo – parece mágica.

Quem ja viu o contrário já sabe que a sensação é de estar perdido, ansioso por um final breve.

Antes de tudo, nao é do líder que surge o grupo, mas do grupo que surge o líder, salvo com a presença de genios e/ou loucos( que ultimamente estão se recolhendo para trabalhar em tecnologia divida).

E por fim, um adendo.

Singular e plural

Num time, a única coisa no plural são as pessoas, todo o resto esta no singular.
Existe somente um objetivo por vez e existe somente um líder por vez.
Se houverem mais de um desses itens, você ou tera grupo nenhum ou mais de um grupo.

Advertisements

9 thoughts on “Equipe de desenvolvimento

  1. Trabalhar em equipe é difícil, perceber que um colega não compartilha o que aprende ou não tem os mesmos objetivos que a equipe como um todo é desestimulante. Imagina trabalhar com quem esta desesperado para mostrar serviço e por conta disso atropela a hierarquia, os padrões de projeto adotados e inclusive o respeito entre os colegas?

  2. Assunto muito válido, sempre!
    Gostaria de acrescentar, o valor de 1 outro item do líder que também é válido para uma boa formação de equipe:
    -Carisma.

    Itens esses que torna um líder, LÍDER naturalmente.
    As pessoas em geral sabem 2 coisas para qualquer objetivo ser atingido:
    1º O que fazer
    2º Como fazer

    Mas poucas sabem o 3º “PORQUE fazer”, assim se cria o líder, verdadeiro vendedor de ideias, alguém que da inspiração , afinal não existe nada mais massante do que seguir alguém sem brilho, apenas rotulado.

    Em resumo quero dizer:
    “Lider é um papel que alguém recebe com uma missão definida de unir pessoas em grupo com muitas respostas e poucas perguntas”.

    Ou para bom entendedor.
    “Dividir (idéias) para conquistar (resultados)” – Napoleão.

    Espero que seja válido pensar no assunto também =]

  3. Ivo, bom artigo, mas fica a minha percepção sobre o comentário relacionado a Asimov – a humanidade é um dos pontos mais presentes em suas obras! =D

    • Fato que ele aborda principalmente a humanidade, como por exemplo, no “Fim da Eternidade”, mas o cara desenvolveu as 3 leis da robótica né e criou sociedades onde a presença de robôs é uma das componentes principais para descrever as relaçãos humanas, como quando robôs assumem papéis humanos, inclusive com relação a ações subjetivas X objetivas.

  4. Um outro ponto que também é interessante, como papel do líder, é a percepção de habilidades das pessoas, entendendo isso as pessoas formam um time ainda mais forte, onde cada pessoa faz o de melhor naquilo que é boa, mas deve ser feito com moderação, fazer as pessoas do time aprenderem algo novo todos os dias é um impulso que elas recebem para se mover e se dedicarem ainda mais…

    Parabéns pelo artigo Ivo!

      • O “fazer com moderação” é de não tornar a pessoa muito bitolada, as vezes vejo pessoas em times que são extremamente especializadas em apenas uma coisa. Acredito que tornar os membros do time o mais interdisciplinares possível impulsiona a todos!

      • tanto a especialização quanto a multidisciplinaridade são importantes e não creio que nenhuma delas deva ser “feita com moderação”. Fazem parte do perfil do profissional.
        Como o artigo aponta, o responsável pela equipe deve entender muito bem do trabalho que se deseja realizar para poder formatar uma equipe com os pesos corretos para cada conhecimento.
        Um profissional não deve pegar leve naquilo que ele gosta, a não ser que ele estude por empregabilidade e não por realização pessoal. E nesse caso não importa o tipo de esforço que ele faça, se por especialização ou multidisciplinaridade, ele sempre tera um indice de eficiencia menor.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s