php5minutes 5 – O M do MVC

Para sarar do carnaval, nada melhor do php 5 minutes especial MVC.

Coincidencia ou não. O cara tava levantando a plaquinha certa.

Coincidencia ou não. O Ivan Rosolen estava levantando a plaquinha certa.

Nesse podcast vou falar do Model.
Na sequencia, quarta-feira, sai o de V, de view e sexta-feira lanço o C, de controller.

Aqui vai o link para o site do criador do MVC – Trygve M. H. Reenskaug.

Também o link na wikipedia.

[podcast]http://ianntech.com.br/wp-content/uploads/2010/02/php5minutes-5-O-M-do-MVC.mp3[/podcast]
Não teve como escapar então tem referencia a outros design patterns:Value Object, Active Record.

download

Abraços a todos.

Advertisements

17 thoughts on “php5minutes 5 – O M do MVC

    • Entao, essa semana me enrolei com a faculdade… inicio eh dificil. Descobrindo caminhos e tempos de deslocamento e documentacao e etc.
      Ja, ja, tudo volta ao normal.
      E, obrigado pela lembrança.

  1. Achei muito legal a proposta, estava procurando exatamente um podcast focado em PHP, que bom que encontrei um bom podcast aqui do Brasil!

    Só dá uma olhada na configuração ou modo de postar, para que todos os podcasts sejam incluídos nos feeds. Por exemplo, este sobre MVC está no feed para eu fazer o download, já o sobre namespace não está, o que dificulta para mim pois baixo os podcasts pelo celular. Veja:

    http://ianntech.com.br/feed/podcast/

    Espero que continue com o podcast, pois certamente estarei acompanhando 🙂

    Abraço!

  2. Ae Ivo! ficou muito bom esse cast sobre Model.

    Você citou como exemplo de utilização do model, criar métodos para manipular uma string de senha, colocar em MD5, SHA1 e etc…

    Uma coisa que costumo fazer quando não estou utilizando um framework com uma estrutura pronta e tal.. é usar o Model para colocar métodos básicos de acesso a uma tabela, por exemplo, um método “CarregarID” ou então fazer o __construct da própria classe carregar os dados daquela tabela, caso eu passe um ID.

    Isso facilita pra caramba na manipulação dos dados, e reduzindo muito código.. principalmente aquele velho SELECT * FROM tabela WHERE id = XXX ….

    Pois deixa um modelo para cada tabela, ai quando vc quiser algum dado dela, é só dar um new Tabela(ID) e já podemos ter um objeto com os dados e os campos.

    Estamos aguardando o próximo cast!

    Parabéns e sorte ai na faculdade nova! (seu louco! fazer matematica? wtf!!! HAHAHAH)

    Abraço

  3. Qual é o problema de falar POSTGRES?
    No PGCon Brasil 2010 tivemos a presença Bruce Momjian, um dos principais responsáveis pelo PostgreSQL e ele sempre citava o projeto como POSTGRES.

    Em 2007 tivemos a presença de David Fetter e ele mencionou que vou licenciado o nome POSTGRES, sendo assim podemos dizer e escrever POSTGRES sem problemas.

    Outro detalhe, como o nome é em inglês, caso opte por dizer PostgreSQL diga em inglês, Postgre Esse Qui El e não Postgre Esse Que Ele como você disse no Podcast.

    Alias, podcast que está de excelente qualidade tanto no conteúdo quando de audio, parabéns.

    • Opa,
      cara, valeu pelo comentário, e aqui vai minha réplica ;).

      Vou por partes…

      Se você é o Bruce Momjian ou David Fetter ou qualquer outro que trabalha com postgreSQL a tempo o suficiente para saber a história dele, como imagino que você seja, não vejo problema nenhum em chama-lo como desejar, alias, como tenho certeza que você sabe, se quiser, você pode até parar no tempo e chamar de Postgres95, ou, como ao que me referia minha observação, POSTQUEL. 😉

      O nome POSTQUEL foi o que me fez fazer o comentário, afinal, se a pessoa não conhece o produto, a terminologia postgres, por si só omite a existencia de uma engine de interpretação SQL que começou a ser adicionada em 94 por Andrew Yu e Jolly Chen. E que, sim, a maioria das pessoas já imagina estar lá, mas no cast foi um momento de purismo… se você procurar por ai, deve ter algum video de palestra minha ou texto, em que também falo postgres, ou seja, sem problemas.

      Agora, quanto a pronuncia, sacanagem né meu, sei que foi um toque legal, mas me diga uma coisa, você fala xis-ême-éle ou équis-ême-el (XML)? ésse-quê-éle ou Si-qu-él (SQL)? No dia-a-dia, hora ou outra sai de um jeito, ou não.

  4. Acredito ter interpretado errado o seu podcast, se você corrigiu o fato das pessoas falaram POSTQUEL e não POSTGRES eu assino embaixo.

    Realmente eu falo XML e SQL “aportuguesado”. O que comentei (e não deixei claro) é que se uma pessoa cobra a pronuncia correta, então deve pronunciá-la corretamente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s